Meditação do dia

Segunda-Feira - 22/12/2014

Os livros poéticos II - Jó / Pv / Ec / CCânticos
Uma discussão sobre o sofrimento

Zofar: Uma palavra de sabedoria e bom senso

Leitura diária: Jó 11 e 12
Leitura da Bíblia em um ano: Gênesis, capítulos 13, 14 e 15

 

Entra em cena o terceiro amigo de Jó. Elifaz e Bildade já procuraram explicar a Jó a razão de ser de tais sofrimentos e Jó a ambos respondeu, reconhecendo em parte a sua limitação, mas talvez, achando-se injustiçado por Deus. Zofar, então, que demonstra ser como os seus colegas, homem de sabedoria e bom senso, vai então repreender a Jó falando da excelência de Deus e exortando o nosso personagem a uma vida de arrependimento e compreensão, começando por criticar um pouco a sua arrogância ou jactância diante do Senhor (11.2,4,5):


"Não se dará resposta à multidão de palavras?
ou será justificado o homem falador?...
Pois dizes, a minha doutrina é pura e limpo sou aos teus olhos?
Mas, na verdade, oxalá que Deus falasse e abrisse os seus lábios contra ti."


Chama a atenção do amigo então para a onipotência do Senhor e a pequenez dele, Jó (11.7-9)): "Poderás descobrir as coisas profundas de Deus, ou descobrir perfeitamente o Todo-Poderoso? Como as alturas do céu é a sua sabedoria... Mais comprida é a sua medida do que a terra e mais larga do que o mar..." Para em meio a esta exaltação do poder do Senhor em face da fragilidade humana, realçar para Jó, a perfeição da justiça divina (11.6): "pois, que Deus exige de ti menos do que merece a tua iniquidade".


É quando então este Zofar demonstra imensa sabedoria e confiança em Deus, recomendando ao amigo o que deveria fazer para sair daquela situação em que se encontrava (11.13-17): "Se tu preparares o teu coração, e estenderes as mãos para ele... e lançares para longe de ti a tua iniquidade... (atitudes demonstrativas de humildade, fidelidade, confissão), então, ele: "levantará o teu rosto sem mácula, e estarás firme e não temerás... te esquecerás da tua miséria... e a tua vida será mais clara do que o meio-dia".


No capítulo 12, Jó novamente começa a defender-se ou a explicar-se das palavras de acusação ou repreensão agora de Zofar, reconhecendo no entanto, a grandeza de Deus (12.13): "Com Deus está a sabedoria e a força; ele tem conselho e entendimento", começando por este argumento a humilhar-se diante de Deus como pecador, e a mostrar-se como dependente da misericórdia dele.

 

Oração para o dia:

Faze-me, Senhor, reconhecer com humildade os meus erros e fracassos e a entender que não será pelos meus méritos que encontrarei a paz de que preciso.

Outras Meditações

Newsletter
NOME:
E-MAIL:

JUERP- todos os direitos reservados 2010